Diário de uma pequena empresa: parte 1

Como muitos de vocês já devem saber, há alguns meses (exatamente há 3), decidi me dedicar integralmente a realização de um grande sonho: criar minha própria empresa. Uma empresa que respeitasse os valores que acredito serem os ideais, com modelo de negócio definido de acordo com minha visão de mercado e principalmente, que pudesse atender a meus anseios profissionais. Falei sobre esta decisão neste post.

Nunca tive dúvidas quanto a carreira que gostaria de seguir. Desde o momento em que ví um computador pela primeira vez, tive a certeza: quero trabalhar com essa “coisa”. Logo, segui o caminho natural para alcançar meu primeiro grande objetivo: ser um profissional de computação. Estudei, me dediquei a área de exatas, cursei graduação em Ciência da Computação e logo na sequência, emendei um mestrado, também em computação.

Enquanto universitário, sempre nutri alguns sonhos (profissionais, evidentemente):

  • Lecionar em cursos superiores de tecnologia
  • Evoluir como desenvolvedor de software
  • Trabalhar em pelo menos uma empresa de porte internacional
  • Empreender (apostar em meu próprio negócio)
  • Escrever ao menos um livro técnico

Alguns destes sonhos consegui realizar ou pelo menos, sentir o sabor. Fui professor em quatro instituições em cursos de tecnologia, galguei as posições de desenvolvimento em uma grande empresa do interior paulista e trabalhei na maior empresa de software do mundo (uma tal de Microsoft). Até funcionário público (pesquisador /professor no IFSP) fui durante 4 meses.

Relatei isso tudo pra dizer que chegou o momento de correr atrás da realização de um novo sonho: empreender. Nesta série de posts (sem final previsto), pretendo compartilhar as experiências pelas quais passei (nos últimos três meses) e estou passando hoje. Os desafios e as vitórias também serão contadas. Tudo isso para ajudar pessoas que, em um futuro próximo ou distante, ambicionam criar seu próprio negócio.

Se você estiver afim de saber como as coisas funcionam na prática em uma empresa de tecnologia que está começando, sem dinheiro mas com muitas ideias, lhe convido a seguir esta série.

Hoje, gostaria de começar falando sobre o início do projeto Conio e as dificuldades lá encontradas. Algumas valiosas lições já foram aprendidas.

O início de tudo…

As coisas mudam, isso é um fato. Saber conviver estas mudanças é fundamental para se ter sucesso em qualquer aspecto da vida. Em São Paulo, as coisas não saíram conforme eu imaginava e de uma hora para outra, me ví tendo que optar entre  duas opções: me transferir para uma nova empresa de grande porte (várias oportunidades apareceram nesta direção) e permanecer na capital paulista, ou voltar para o interior e apostar no meu próprio negócio. Optei pela segunda e cá estou!

Primeira grande lição aprendida: por mais que você planeje suas ações, existem situações extras, variáveis, que podem mudar sua estratégia inicial. Diferencia-se quem sabe lidar com este tipo de situação e possui cartas na manga.

Minhas principais dificuldades iniciais

Quando via alguns amigos iniciando suas jornadas como empresários, imaginava: “puxa vida, não deve ser tão complicado assim, se fosse, não veríamos tantas startups“. Me surpreendi mais uma vez, negativamente.

As dificuldades para a composição de uma empresa (conforme manda o figurino) são enormes. São de toda natureza. Abaixo listo as principais delas (mas não todas. Estou deixando os detalhes).

  1. Elaboração de um plano estratégico
  2. Burocracia extrema para a aquisição do CNPJ
  3. Dificuldades para encontrar um nome que represente exatamente o espírito da empresa
  4. Registro da marca (marcas e patentes)
  5. Escolha de um logotipo e slogan apropriado
  6. Escolha do local ideal onde a empresa será instalada a um valor acessível
  7. Elaboração de projeto de acessibilidade
  8. Preparação do local escolhido para suportar as demandas (reforma, pintura, instalações elétricas, decoração, etc.)
  9. Compra dos equipamentos (computadores, projetores, impressoras, storages, servidores, racks, etc.)
  10. Preocupação com a segurança: câmeras, alarmes, cerca elétrica, seguro, etc.)
  11. Aquisição de link de internet e sistema de telefonia
  12. Configuração de ambiente
  13. Confecção do site da empresa em paralelo com as demais atividades
  14. Licenças de software
  15. Controle do orçamento para realizar todas as operações mencionadas acima
  16. Controle do tempo para conseguir associar o técnico com o administrativo
  17. Definir o time inicial (número mínimo de pessoas a serem contratadas para atender as demandas até o estrangulamento)
Como disse anteriormente, estou deixando de lado detalhes, como: definição das cores as quais decorarão a empresa, 3 ou 4 cotações para cada elemento a ser adiquirido, tipo de cadeira que melhor se adequa ao modelo de laboratório, extrair medidas e mais medidas, crimpar pontas e mais pontas de cabos de rede, etc.

Uma pergunta que pode surgir aqui é: “Fabrício, muito desse trabalho seria poupado se uma arquiteta, uma agência de publicidade e uma empresa especializada em construção de ambientes de rede fosse contratada, certo?”. Evidente que sim, aí vem o maior de todos os problemas: orçamento extremamente apertado. Diante disso, tudo foi feito manualmente, por mim e um grupo de pessoas excepcionais que incluem a esposa (Maria Angélica), familiares (meus pais) e amigos (Fabiano Rodrigues e Humberto Silva).

Segunda grande lição aprendida: se o dinheiro e o tempo são curtos, a vontade e a determinação têem que ser enormes. Caso contrário, é impossível realizar qualquer coisa, especialmente uma empresa.

Terceira grande lição aprendida: sozinho não há como fazer absolutamente nada. Se houver humildade suficiente para admitir isso, pode ser que a sorte lhe sorria.

Quarta grande lição aprendida: se você quer montar uma empresa no futuro, poupe dinheiro agora. Poupe o máximo que puder, você vai precisar muito dele. É fundamental iniciar seu negócio sem precisar entrar em banco ou empréstimo de outra natureza. É o seu sono e o de sua família que estarão em jogo.

O status da Conio hoje

Hoje, 07 de Novembro de 2012, a Conio Soluções em Tecnologia caminha para a conclusão das obras em seu escritório com cerimônia de inauguração prevista para a próxima semana (ainda sem data definida).

Nos próximos posts, falarei de forma mais detalhada sobre cada um dos principais problemas mencionados e como conseguimos com pouco dinheiro, contornar cada um deles. Pode ser de grande ajuda quando você se deparar um situações iguais ou semelhantes.

Por hoje é só! Forte abraço a todos.

468 ad

3 Comentários

  1. Excelente decisão man! não tenho duvida alguma q vc e sua empresa terá um futuro brilhante!

    Parabéns

  2. Fala Fabrício, blz cara!

    Primeiramente, gostaria de lhe desejar parabéns pelo atual-futuro sucesso da Conio. :)

    Realmente, existem muitas dificuldades ao se abrir uma empresa, que só nos deparamos, quando estamos exatamente nesta fase. Analisando “de fora”, é praticamente impossível identificar e associar dificuldade a determinados problemas. Porém, a alegria de supera-los é com certeza muito maior que qualquer outra coisa para quem esta abrindo seu próprio negócio!

    Em 2010 abri a Codicon Tecnologia, muitos, mas muitos problemas e dificuldades apareceram, mas o gostinho de supera-los é algo incrível, claro que, muitas alegrias e conquistas vieram junto!

    Na minha opinião, sua “Terceira grande lição aprendida” é, se não a maior, uma das lições mais valiosas a aprender! Bati muito a cabeça sozinho, e hoje, tenho com quem dividir problemas e alegrias.

    Bom, era isso! Abs e muita boa sorte nessa nova jornada! Se precisar, pode contar! ;)

  3. Tarifa e Rafael, muito obrigado pelas palavras. []s

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


quatro − = 3

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>